Os novos desafios do SUS

*
Por Jonathan Mendes Caris


Considerado um dos maiores sistemas de saúde do mundo, o SUS (Sistema Único de Sáude) vem enfrentando um novo desafio. Diferentemente das reclamações sob o seu funcionamento e infraestrutura, o problema vem do outro lado do globo, mais precisamente da terra do dragão. Com o aumento do número de chineses imigrando para o Brasil, (hoje beirando em 58 mil) o sistema público de saúde tem se deparado com a dificuldade de atender esses que não falam o idioma português. 

Na Unidade Básica de Saúde (UBS) da Sé em São Paulo, como foi revelado pelo jornal Folha de São Paulo (25/08), para atender as gestantes que procuram atendimento, desenvolveu-se uma cartilha com ideogramas trazendo orientações básicas. As pacientes com recursos contratam intérpretes, mas na maioria das vezes são os familiares, que já compreendem um pouco do idioma, que fazem a ponte na comunicação. 

No Brasil, atualmente, apenas 5% dominam o idioma inglês. Numa matéria da BBC Brasil, o país ficou atrás dos chineses na taxa de proficiência por habitante. Há uma grande necessidade de uma segunda língua no currículo profissional do brasileiro. O ensino público não supre a necessidade com a baixa qualidade do curso oferecido nos ensinos fundamental e médio do currículo escolar. Fica a cargo do aluno/profissonal buscar por cursos particulares, via internet ou ONGs. 

Quando o SUS foi criado, não se levou em conta o seu uso por não-brasileiros. Passados 25 anos da sua criação, o sistema ainda tropeça nas dificuldades em oferecer bom atendimento aos seus usuários brasileiros, além de carregar a acusação de não implantar seus princípios fundamentais homologados na lei N 8.080, de 19 de setembro de 1990. É necessária e urgente uma modernização e evolução do sistema de saúde pública do país, para melhor atender não somente ao próprio brasileiro, mas também aos inúmeros imigrantes que procuram o Brasil na esperança de uma vida melhor. Enquanto isso, as mímicas, desenhos e improvisos farão partes do dia-a-dia das gestantes chinesas e dos funcionários da Unidade Básica de Saúde na Sé, senão nos inúmeros posto de atendimentos pelo Brasil.


* Imagem:  http://www.valeclin.com.br/web/exames/convenios/168-sus

Comentários