A intolerância a salvo do pecado

*
Por Jonathan Mendes Caris


O mundo estaria a salvo de um grande caos se a grande maioria que “segue” um Cristo, vivesse-o. Contudo, há ainda um grande número de fiéis que apenas levam no peito o símbolo do grande homem, deixando de lado a essência dos seus mandamentos. Nos últimos anos temos assistido à crescente propagação de um ódio religioso que se produz em tanto em fiéis quanto em não-fiéis de diversas religiões, pontuadas pelas críticas de ateus e agnósticos. Em virtude da pluralidade de pontos de vista das variadas vertentes religiosas, a separação do povo se consolida e cresce cada dia mais. 

No mês passado, um deputado na Câmera declarou que nunca antes as religiões cristãs estiveram tão unidas quanto quando se manifestaram contra o ato de protesto na parada gay de São Paulo, em que um transexual encenava ele próprio a crucificação do Cristo. De fato, há muito tempo não se via uma união dos cristãos por algum motivo comum. Mantêm-se sempre o interesse que convém a cada grupo de acordo com seus princípios, e o resto é resto. Pessoas ainda são hostilizadas por terem ideologias contrárias. Pessoas ainda morrem por viverem em caminhos fora do que se prega nas religiões. 

Num episódio recente, uma menina de doze anos foi hostilizada com uma pedrada na cabeça por causa de sua fé. Comentários sobre o assunto proferidos na rádio Band News levaram o jornalista Ricardo Boechat e o pastor Silas Malafaia a entrarem em atrito, numa versão reduzida de uma segregação religiosa que já produziu muitos episódios desumanos no mundo todo, como se em nome de Deus tudo fosse válido. Se no Oriente Médio matam porque é inimigo de Deus, no Brasil pessoas são hostilizadas por professarem sua fé.

Num país que se diz laico, porém patrocina eventos religiosos e os representantes de suas igrejas alimentam o ódio contra os “pecadores”, o que nos resta é caminhar para o fim do mundo. Porém, não descarto a ideia de que o homem será responsável pela sua destruição, e não Deus. A paz pregada pelos religiosos nunca há de vir, uma vez que os fundamentalistas são os primeiros a impedi-la de nascer.


* Imagem:  http://www.bulevoador.com.br/2015/02/ateismo-e-intolerancia/

Comentários