#ForaBetoRicha!!!

*
Por Ana Lúcia Sorrentino


O governador do Paraná, Beto Richa, só causou desgosto ao Brasil essa semana. Não vou me deter aqui no que todos já sabemos: que ele não entende, em absoluto, a importância do professor na sociedade. Que não lhe caiu a ficha de que NÃO EXISTE QUALQUER PROFISSÃO SEM QUE HAJA PROFESSORES. Que o mais simples profissional se tornou profissional por algum dia ter tido um professor. Que até ele, que é um fracasso no que faz, só chegou a ter chance de ser esse fracasso porque, algum dia, teve professores. Que, em seu caso, não tiveram sucesso, mas muito provavelmente por mérito dele e não dos que tentaram lhe ensinar qualquer coisa. Enfim: não entendeu que, dos profissionais, os professores são, possivelmente, os que mais merecem respeito.

Muito já se falou nos últimos dias sobre esse lamentável e chocante episódio. Vou me deter aqui apenas em uma declaração desse infeliz governante, porque ela pode passar despercebida aos mais incautos, mas depõe tão intensamente contra ele e expõe tão claramente seus nefastos objetivos, que merece maior atenção.

Defendendo não ser necessário um diploma de curso superior para o ingresso na polícia militar, em entrevista à rádio CBN Richa afirmou que "a outra questão é de insubordinação também, a pessoa com curso superior muitas vezes não aceita cumprir ordens de um oficial ou um superior com uma patente maior". Posteriormente, em outra entrevista, tentou lançar uma desculpa esfarrapada, dizendo, várias vezes, que cometeu um "ato falho".

Realmente, cometeu um ato falho. Deixou escapar o que pensa: que quer que policiais militares sejam acríticos, não pensem por conta própria, para ter, assim, a garantia de que obedecerão sem questionar. O que me leva a crer que sua intenção é de dar ordens que não seriam acatadas por pessoas de bom senso! Ordens absurdas, como a de baixar o cacete, meter bala de borracha, spray de pimenta, jatos de água e até recorrer a helicópteros para fazer um bombardeio aéreo de talco em professores! Se todos os policiais militares tivessem bom senso teriam agido como aqueles 50 que se negaram a agredir os manifestantes e foram, por isso, exonerados. A minha conclusão pessoal só pode ser uma: a de que esse homem não pode ter poder. 

O episódio do massacre dos professores no Paraná, que teve mais de 200 vítimas, mas que deixou feridos todos os professores do Brasil, todos os brasileiros e também a democracia, por seu caráter violentamente ditatorial e pelo imenso desrespeito à população, que elege pessoas para representá-la e não para impor-lhe seus próprios interesses à força, já ficou na história. E espero, sinceramente, que ainda tenha um desfecho positivo para todos os brasileiros, porque, se tivermos que acreditar que é possível elegermos alguém para depois sermos calados à força e combatidos como em campo de guerra, perderemos a fé, realmente, em tudo. 

#ForaBetoRicha!!!


* Imagem:  http://www.bancariosdecuritiba.org.br/

Comentários