Jogo de xadrez no Planalto

*
Por Jonathan Mendes Caris

O impasse político que o governo está enfrentando dentro de sua casa cresce disparado. É notória a dificuldade que a presidente está tendo para governar no início de seu segundo mandato. Dificultando ainda mais as movimentações do planalto, o maior aliado do governo, o PMDB, não esconde sua disposição em bater de frente com o executivo, em favor dos interesses do partido. Estamos assistindo o planalto ser roído pelos que o compõem. A instabilidade econômica e política tem aberto espaço e inspirado a base aliada, junto com a oposição, a jogar com a presidente em favor dos seus, em um momento em que a grande maioria corre o risco de ser alvo das variadas investigações que estão em andamento e as que ainda estão por vir, como a do BNDES e a do HSBC. 

O maior aliado do governo vem colecionando vitórias sob o palácio. O vice-presidente Michel Temer mais parece um espião, além dos capitães Eduardo Cunha (presidente da Câmera) e Renan Calheiros (presidente do Senado). O PMDB ataca (ou contra-ataca) a presidente impondo derrotas onde quer que ela se articule. Seu último alvo até o presente momento foi o ministro da Educação Cid Gomes (PROS). Depois de uma desavença entre o presidente da Câmera e o ministro, que diz haver na Câmera de 300 a 400 achacadores, (motivo pelo qual foi intimado a se explicar na última quarta-feira), o governo resolveu demiti-lo. Isso após o discurso do ministro diante do aumento da insatisfação do PMDB que chegou a declarar que ou o ministro seria tirado do seu posto, ou o partido deixaria a aliança com o governo federal. 

O governo da presidente passa por um vendaval em alto mar. Ela declarou não haver mais opção para enfrentar a crise que está se aprofundando no país. Em menos de três meses de governo a presidente já tem enfrentado uma reviravolta nos números que compõe toda a política econômica, como o desemprego, a inflação, queda da exportação e o aumentos dos juros, somados com outros fatores como a sua impopularidade e o aumento de protestos em variados setores. Será preocupante se a presidente não pegar no manche e assumir o curso desse transatlântico diante da falta de previsão para a tempestade amenizar.


* Imagem:  http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Palacio_do_Planalto.jpeg

Comentários